imagem-fracasso.jpg“Um homem não é derrotado por seus inimigos, mas por si mesmo” Jan Chistian Smuts

Apenas uma reflexão pessoal para manter meus pés no chão. E que não seja fútil o cuidado com as ciladas da vida. Vou chamá-lo de zelador.

Iludido. Minha carne ofereceu uma paz enganosa. Precisei desaguar meu narcisismo. Sem perceber ele estava lá, escondido. Como uma esfera, sendo lubrificada pelos elogios na engrenagem. Sei lá quanto tempo ficou dentro de mim de forma dissimulado de valor normativo. Era algo imperceptível massageando meu ego.

Em termos, não havia necessidade de notá-lo. Ademais, faz parte do pacote padrão da sociedade. Cuidado! A perfeição é pré-requisito para figurar em classe superior. Eles não aceitam em seus círculos gente incoerente, contraditória e incerta. Basta descobrirem uma fissura no seu peito, (calcanhar de Aquiles) ou, em seu comportamento, uma falha, um erro, e será completamente banido. No entanto, surpreso, percebi a tempo que através da imperfeição posso gerenciar o processo de desenvolvimento. Se um dia errar, falhar, tomar decisões erradas… Será por meio desses erros e atos falhos que potencializarei outras qualidades. Por favor, me entendam. Não estou fazendo apologia nem, tão pouco, justificando erros. Pelo contrário, estou conjeturando e assumindo-os. São probabilidades legítimas.

Toda vez que cometo um erro parece-me descobrir uma verdade que antes não conhecia. (M.Maeterlinck)

Minha razão quase me condena. Não sei por qual motivo acatei, às vezes, certas decisões induzidas pela consciência e não pela intuição. Afinal, se estou em construção, seria mais justo se minhas escolhas certas ou erradas fossem avaliadas e julgadas, antecipadamente, por dois critérios. Caso houvesse perdas e/ou ganhos, dividiria.

Busquei parâmetros para vida sem levar em conta as fragilidades encontradas pelo caminho. Ou seja, meus erros e falhas. Na conjuntura e formação do meu caráter descartei a possibilidade do fracasso. Agora, confesso, lamentei sobremaneira ter descoberto somente através da dor… O fracasso veio de dentro.

Os erros do homem são aquilo que o torna particularmente digno de amor (Goethe)

Portanto, recebam mea culpa. Esqueci que, às vezes, posso aprender mais com os erros do que com a certeza. Por enquanto, é isso.

Um abraço.

vibrações da alma,p.35

Anúncios