Em abril, celebraremos nosso aniversário de 20 anos! Um bom momento para refletirmos sobre nossa caminhada de fé. Percebo no semblante de cada membro da comunidade a maturidade, isso reforça o compromisso com a Igreja e o momento em que estamos vivendo dia a dia. Afinal de contas, #betesdaminhaigreja.Temos muito pra contar! Vivendo em família.” É tão bom que não nos damos conta de termos vivido duas décadas. Mas não cogitamos viver de outra maneira.

Há duas razões fundamentais: a primeira é que ao longo desses 20 anos mantivemos o coração aquecido, a mente reflexiva, mesmo diante das crises, – aprendemos que o conflito transforma uma pessoa, – valeu a pena cada minuto na casa de Deus. E segundo, particularmente, continuar o trabalho iniciado por homens e mulheres cheios de Deus, cujas pegadas tenho seguido deliberadamente. A fé não invalida a razão. Ao contrário, a fé resignifica a razão.

Durante esses 20 anos, a juventude navegou nas águas do passado e futuro, enquanto a vida conjuga o presente. Sim, eles não perdem o agora, – estão sempre prontos a pisar no chão missionário. Enquanto isso, mantém a chama evangelística acesa nos projetos reconciliadores (Pequenos Grupos, Projeto Vida Nova e Instituto Crer e ser)

Vi o ministério Feminino ser criativo e refletir sobre o papel da mulher na sociedade; o ministério Infantil estimular o aprendizado com intensidade e dedicação: a promover o Reino de Deus e cativar os adultos. Neste sentido, minha maior alegria, nesse tempo, além de desconstruir os “conformes” da religiosidade que não funcionam mais; é manter as portas abertas e a cada dia reconstruir relações e compartilhar da graça de Deus. É celebrar a plenitude da fé do amanhã ciente de que escolhi um caminho de paz que cada vez se apresenta mais claro.

“Portanto, assim como vocês receberam Cristo Jesus, o Senhor, continuem a viver nele, enraizados e edificados nele, firmados na fé, como foram ensinados, transbordando de gratidão”.

(Cl. 2. 6, 7 )

Portanto, temos muito pra contar! Afinal, escrever uma história não tem muito a ver com fazer sonhos acontecerem, mas com o valor da transformação nessa travessia. Sendo assim, não concluímos nada. A mensagem do Evangelho segue seu fluxo. Entretanto gosto daquelas cenas em que Deus faz as pessoas pararem e pede que construam um altar. A fim de lembrarmos-nos desse tempo de Graça. “A noite termina, o dia já vem, a estrela da alva não deve tardar… “

Parabéns Betesda!

Chagas

Anúncios