Bom dia!
Obrigado a todo@s pelo carinho. Vocês são  generosos.

Sei que o aniversariante tem alguns “privilégios” aliás todos tem, por isso vou escrever o que mudou, ou pelo menos assim parece. Se o texto estiver longo leiam depois… não prendendo roubar o tempo precioso de vocês…

50 ANOS. (1.3590.23)

Obrigado a todos..
50 anos depois, vou confessar sem constragimento, alcancei o que antes não imaginava chegar tão cedo. (rs)
Quando sua família celebra seu primeiro  aniversário,  a sensação é única. Afinal  é o primeiro aninho de vida… tudo é fascinante.  É exatamente a partir daqui que as coisas podem mudar.

50 anos depois, os desejos da mocidade, inquietante, a euforia  do vigor juvenil encontrou pouso, então, nasce  outro estágio da vida –  a busca pela excelência.  A tão conhecida e esperada maturidade. As decepções que mataram minhas ilusões foram necessárias,  para que conhecesse outras verdades,  talvez,  com mais pureza.

50 anos depois. Falando muito realisticamente, corro o risco de gerar uma especie de habitual familiaridade palpável da vida,  e torná-la desinteressante.

Drummond dizia que “Há uma pedra no meio do caminho… no meio do caminho tinha uma pedra. “

O romantismo traz beleza à vida nessas horas,  enquanto que a maturidade torna-se aliada da coragem para transformar as pedras do caminho em belas esculturas… Salmo 66:10 “afina como se afina a prata” Eis aqui o ponto de recomeço do jogo da existência;  aprender  preencher os espaços em branco. Assim como aprender a desapegar-se da ideia do começo do fim…  sem lamento. Talvez seja essa a moral do que escrevo. (rs)

50 anos depois. Nessa perspectiva, tudo se transforma! O tempo torna-se aliado e, ao mesmo tempo,  desafiador. Concentrado. Medido. Refinado. A vida  é assim. Nessa vida de espera,  os sonhos são aquecidos tornando-se sempre maiores. Incrivelmente!!   É a bendita intensidade da fase –  o momento largo e pleno das realizações de tudo que deseja;  ou seja,  a espera do tempo das recompensas.
A vida é assim. Sempre misteriosa. Complexa, paradoxal,  e assim inesperadamente fascinante.

” Ó Deus, tu és i meu Deus… de ti tem sede minha alma, a nela por ti minha carne, como terra,  seca, sem água. (Salmo)

Que a graça seja multiplicada.
Chagas.

Anúncios